Seguidores

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Oblação



Alma que não enferruja
é aquela que se lava
nas corredeiras do longe
e vira espuma na água.

Por que o perto põe à mostra
todo e qualquer azinhavre
nódoa na dobra das horas
e não tem água que o lave.

Água dita: buena dicha
bendita de mala sorte
que a alma que embala a vida
leva o refrão e seu corte.

A receita está no tempo
que limpa todas as marcas
e cobre num véu de névoa
a culpa de toda carga.

Encoberta pela brisa
a alma nova descansa
rio que vai para o mar
lambendo o sal dessa dança.


Aníbal Beça

Um comentário:

  1. Parabéns ao poeta Aníbal e ao Portal da Poesia pela escolha.

    ResponderExcluir